Blog posts

Teste da orelhinha: diagnóstico precoce permite o desenvolvimento da comunicação

Teste da orelhinha: diagnóstico precoce permite o desenvolvimento da comunicação

Comportamento, Saúde

O teste da orelhinha ou triagem auditiva neonatal é um exame obrigatório por lei que deve ser realizado em todas as maternidades após o nascimento do bebê. O exame é capaz de identificar se ele possui algum problema auditivo e é feito rapidamente, assim como o teste do pezinho. A fonoaudióloga da Direito de Ouvir, Dra. Andreia Abrahão explica porque o exame é tão importante para garantir o desenvolvimento saudável da criança.

Desde agosto de 2010, a Triagem Auditiva Neonatal passou a ser obrigatória em todas as maternidades. Antes disso, os testes eram realizados apenas em crianças de grupos de risco, como prematuros, crianças com baixo peso, que possuem alguma síndrome ou que tiveram alguma infecção durante seu desenvolvimento na gravidez. Com isso, muito bebes perdiam a oportunidade de terem uma deficiência auditiva diagnosticada precocemente e serem logo encaminhados para tratamento.

Segundo a fonoaudióloga, ouvir bem é essencial para o desenvolvimento da linguagem da criança. Ela explica que a partir do quinto mês de gestação, quando o órgão auditivo já está formado, o bebê é capaz de ouvir os sons de fora da barriga. “Assim quando ele nasce, identifica os sons e principalmente a voz da mãe. Com o passar dos primeiros aninhos de vida, a linguagem se aprimora. Os bebes que têm a deficiência identificada logo após o nascimento, podem ser imediatamente encaminhados para atendimento especializado. A boa notícia é que atualmente há tecnologia para praticamente todos os casos, permitindo que o bebê seja protetizado precocemente e tenha acesso ao som, desenvolvendo sua comunicação de uma forma muito parecida com uma criança ouvinte.”

Rápido e indolor, o exame muitas vezes é realizado enquanto o bebê está dormindo explica a especialista da Direito de Ouvir. “O procedimento é pouco invasivo e os pais podem acompanhar. Encostamos na orelha da criança um pequeno fone de ouvido que emite um som de baixa frequência e mede as respostas que são emitidas pela orelha interna da criança”. Quando há diagnostico positivo o bebê é encaminhado para o médico otorrinolaringologista, que irá orientar o melhor tratamento para o problema.

A dra. Andrea Abraão faz parte da rede Direito de Ouvir

Para a fonoaudióloga, não identificar um déficit auditivo precocemente, além de prejudicar a formação da linguagem, é algo que costuma comprometer o desenvolvimento social e emocional da criança. “Quanto mais tarde o diagnóstico for feito, maiores serão os desafios para a criança transpor, pois terá dificuldades quando chegar a hora de ir para escola e para interagir com a família e com outras crianças”.

Andrea também explica que é importante fazer exame de audiometria periodicamente, pelo menos uma vez por ano. “Durante o desenvolvimento da criança pode ocorrer vários fatores – doenças da infância como sarampo, caxumba, rubéola – que podem afetar a audição. Otites de repetição, quedas ou acidentes domésticos (hastes flexíveis, objetos estranhos) também podem causar prejuízos para a audição. Também com queixas de atraso de fala é necessário que se averigue a acuidade auditiva dessa criança.”

 

A Andrea Abraão faz parte da rede Direito de Ouvir, mais informações no site www.direitodeouvir.com.br.

About the author

Ana Claudia Cukier, jornalista, tímida, madrinha de duas meninas lindas e doces e mãe do Guilherme. Hoje me realizo nas funções de mãe e blogueira e tenho certeza que a maternidade me deu paciência, uma virtude que eu não tinha e que hoje não consigo me imaginar sem.

7 Comentários

  1. Ariane Baldassin
    01/07/2017 at 12:59
    Reply

    Tão fundamental que nos dias de hoje acho que todas as crianças o fazem não é?

  2. Chris Ferreira
    30/06/2017 at 12:46
    Reply

    Ótimo post. É importante fazer todos os testes que temos disponíveis .
    beijos
    Chris

  3. Michele Gobbato
    29/06/2017 at 01:10
    Reply

    Ótimo post, o Gui fez na maternidade tbm mesmo ainda não sendo na época obrigatório

    Bjs Mi Gobbato

  4. Pauleni
    29/06/2017 at 00:39
    Reply

    Ainda na maternidade e.fora dela realizamos testes auditivos e o resultado super tranquilo, tão bom quando da tudo certo.

    Bjs

  5. Lele
    28/06/2017 at 12:30
    Reply

    A Isa teve que voltar depois de uns dias da alta da maternidade para refazer
    com o Tato foi tudo bem, mas agora precisou refazer, depois de grande
    bjs
    Lele

  6. Claudia
    28/06/2017 at 01:39
    Reply

    Oi Ana Clau!
    Ótimo post!
    Sempre trabalhei em hospital e com várias fonos e é nítida a importância desta triagem auditiva
    Prevenção é sempre o melhor caminho
    Bjs

  7. Talita Rodrigues Nunes
    27/06/2017 at 20:05
    Reply

    Lembro bem quando fizeram o teste da orelhinha no meu bebê, ainda na maternidade. Foi rápido e tranquilo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *