Blog posts

Mãe sem estresse: existe?

Mãe sem estresse: existe?

Comportamento, Dicas da Mama, Saúde, Trabalho

No início do mês participei do workshop “Mãe sem estresse: como conciliar trabalho e família para uma melhor qualidade de vida”. O workshop é um projeto desenvolvido e ministrado por Pâmela C. Lopes, mãe de 4 filhos, professora, escritora e coach.

Mãe sem estresse

Foi uma tarde muito proveitosa, pois refletimos sobre pontos centrais de nosso dia-a-dia, que podem impactar de maneira positiva ou negativa a forma que vivemos… O lema da Pâmela é “viver sem estresse é possível sim!”. Confesso que no início da tarde estava bem cética quanto ao tema, pois aqui tenho uma rotina (ou falta de) super corrida… Como fazer essa mágica acontecer?

Afinal de contas, o que é estresse? “É a forma física e emocional em que reagimos ao problema, ao trabalho em excesso e muita preocupação. Com sintomas físicos e mentais.”

O que achei interessante é que se observarmos a nossa conduta de uma maneira muito racional e objetiva, conseguimos sim mudar alguns aspectos que geram estresse na vida de uma mãe.

Resolvi deixar algumas dicas que foram dadas ao longo do workshop para que vocês também possam fazer uma avaliação do que podem mudar para levar uma vida menos estressante:

O ato de brincar é de suma importância para o desenvolvimento emocional, cognitivo e motor da criança. Através da brincadeira podemos perceber as preferências de nossos filhos, os prazeres e também o que os incomoda. Nosso papel como pais é de prestar atenção no momento do brincar dos filhos, observar as mensagens que as crianças emitem ao brincar. Devemos separar um momento do dia para brincar com as crianças, desligando-se de todo o resto. Lembrem-se que o fundamental é a qualidade do tempo, não a qualidade…

As crianças precisam ouvir “não”. Criança que não recebe limite dos pais não é capaz de lidar com as frustrações da vida. Normalmente, quando uma criança não sabe perder é porque ela não recebe “não” dos pais e isso é uma péssima influência para o crescimento da criança, pois que tipo de adulto ela se transformará?

Aprenda a fazer as perguntas da maneira certa para receber as respostas que espera das crianças. Temos curiosidade em saber o que aconteceu e de que forma ocorreu, porém a pergunta tem que fazer a criança refletir. Exemplos:

–  O que aconteceu hoje na escola? (Ao invés da clássica: como foi hoje na escola?).

-Qual a melhor forma de resolver? (Ao invés de: porque você fez… qualquer ato negativo se enquadra aqui)

Quando as perguntas são feitas sem um tom agressivo ou crítico, as crianças são capazes de refletirem sobre o assunto proposto e solucionarem o problema na visão deles.

Como já foi dito acima, quantidade não é qualidade! Existem estudos que afirmam que até os 11 anos de idade da criança, a qualidade do tempo que passamos com os filhos importa mais do que a quantidade… Conversar, passar nossos valores e crenças são essenciais para a formação das crianças. Nós somos os modelos para nossos filhos.

Administração de tempo: é fundamental que haja organização e planejamento do seu tempo para que você não seja atropelada pelos compromissos, o que gera um nível de estresse na vida de qualquer pessoa. Tenha uma agenda, não importa onde (de papel, no celular, no computador…). Avalie quais são as suas prioridades e organize o seu tempo de acordo com elas. Aprenda a delegar as tarefas e, no caso das crianças, as envolva nas tarefas, sem uma conotação de obrigação. Criança adora sentir-se útil!

Trabalhando home office. Estudos apontam que Mães que trabalham em casa após a maternidade, são mais empreendedoras, acabaram ou diminuíram a culpa em relação a ausência na educação dos filhos, que sim, a maternidade ajudou na carreira. Se você trabalha em casa, tenha um local de trabalho, seu filho e todos precisam saber disso para respeitarem seu horário e local de trabalho.

Com a Pâmela
Com a Pâmela

 

São dicas pontuais, mas que podem realmente fazer uma diferença na nossa rotina! Depois me contem se funcionaram para vocês!

Agradecimentos: Pâmela C. Lopes

 

About the author

Giuliana Pierri, psicóloga clínica e mãe da Victoria. É extrovertida e fala até com as paredes. Sempre gostou de moda e, como mãe de menina, expandiu o seu interesse também por moda infantil. A maternidade me desacelerou um pouquinho (só um pouquinho!) e me proporcionou um pouco mais de paciência para aproveitar a vida ao lado da minha família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *