Blog posts

Infertilidade e Técnicas de Reprodução Humana: palestra na Clínica Vivitá

Infertilidade e Técnicas de Reprodução Humana: palestra na Clínica Vivitá

Saúde

No mês passado participamos de uma palestra para jornalistas e blogueiros na Clínica Vivitá. Foi uma tarde recheada de informações sobre saúde, com um tema que preocupa uma quantidade enorme de casais no mundo todo…

Palestra na Clínica Vivitá
Palestra na Clínica Vivitá

Como eu senti na pele a dificuldade para engravidar acho que sempre vale a pena trazer informações para os nossos (as) leitores (as) e a palestra foi ótima para eu recapitular alguns dados que eu ainda não havia passado para vocês.

Os médicos da clínica: Dr. George Fassolas, Dr. Paulo Bianchi e Dra. Patrícia Arie conseguiram passas as informações de uma maneira muito acessível para o público leigo. Inicialmente foi explicado a diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro (FIV), que são muito divulgados, mas que causam confusão entre as pessoas…  Você sabe qual é?

Inseminação artificial:

Começa com a estimulação da ovulação, através de medicações hormonais que atuarão direta ou indiretamente nos ovários, estimulando-os a produzir óvulos. No tratamento de inseminação artificial a indução de ovulação também será relativamente leve, utilizando-se uma quantidade pequena de medicações hormonais visando à produção de poucos óvulos, porém, efetivos.

A formação e desenvolvimento dos óvulos serão acompanhados por meio do exame ultrassom e, quando atingida a maturidade ovular, realiza-se a inseminação do sêmen no útero da mulher. Este procedimento é indolor e consiste na colocação de um pequeno cateter dentro do útero da paciente, contendo o sêmen previamente preparado que, dessa forma, é injetado na cavidade uterina (conforme exemplificado na figura).

Uma das grandes características da inseminação artificial é a possibilidade de se preparar o sêmen antes de injetá-lo na cavidade uterina. A inseminação artificial é uma ótima opção de tratamento para aqueles casais cuja mulher tem as trompas normais e o homem tem uma alteração espermática mais leve (que poderá ser corrigida com o preparo do sêmen). Além disso, a inseminação artificial também poderá ser utilizada para tratamento de casais com infertilidade sem causa aparente após completa investigação diagnóstica.

Fertilização in vitro (FIV):

1. Indução da ovulação, em que se utilizam medicações para estimular o crescimento e maturação dos óvulos. Nesta etapa, o crescimento dos óvulos é monitorado por exames de ultrassom transvaginal.

2. Coleta dos óvulos, consiste em punsão dos ovários guiada pelo ultrassom transvaginal. A coleta de espermatozoides é feita no mesmo dia.

3. Fertilização in vitro, que pode ser realizada através de duas técnicas: FIV Convencional, em que os melhores espermatozoides e os melhores óvulos são selecionados e colocados em um mesmo meio, para que ocorra a fertilização (isto é, a penetração do espermatozoide no interior do óvulo) de forma espontânea.

4. ICSI (Intracitoplasmatic Sperm Injection), em que os melhores espermatozoides são selecionados e injetados no interior dos melhores óvulos. Isso agiliza e facilita o processo de fertilização. É a técnica mais utilizada hoje em dia.

5. Transferência de embriões ao útero, feita entre 3 e 5 dias após a fertilização. O procedimento é feito através de um exame ginecológico rápido e indolor. 6. Teste de gravidez, 11 dias após a transferência de embriões e posterior acompanhamento da gestação através de exames ultrassom a cada duas semanas.

É importante ressaltar que os dois tratamentos acima não são os únicos caminhos para quem está com dificuldades para engravidar. O melhor tratamento é aquele sugerido pelos especialistas depois de uma avaliação física aprofundada e análise de muitos exames que são necessários para descobrir a causa da possível infertilidade…

Um tema muito interessante e que faz parte do senso comum do universo de reprodução humana é a quantidade de óvulos utilizados em um tratamento de FIV. Me lembro que quando engravidei, as pessoas que sabiam que eu havia feito tratamento sempre me perguntavam quantos embriões haviam sido implantados e sempre ouvia a mesma frase “- Ih, será que vem gêmeos?!”.

Na palestra foi explicado que com o decorrer do tempo houve uma redução na quantidade de embriões transferidos: as gestações de múltiplos são menos seguras do que as de embriões únicos. Hoje em dia costuma-se implantar no máximo dois embriões por tentativa (o que aconteceu no meu caso). Quando há embriões excedentes é possível congelá-los para um próximo tratamento.

Na palestra também foi abordada a questão do útero de substituição (muitas vezes ouvimos a expressão “barriga de aluguel” que é usada incorretamente, pois aqui no Brasil é proibido por lei transações financeiras para tratamentos desse tipo). Aqui pode ser usado um parente de até quarto grau de um dos parceiros.

Aqui no Brasil, o útero de substituição tem sido muito utilizado em tratamentos de casais homoafetivos, principalmente para os casais de mulheres. Os casais homossexuais masculinos ainda se utilizam pouco de tratamentos de fertilização para terem filhos, muito por falta de informação e pela dificuldade em encontrar um parente que faça parte do tratamento cedendo o útero para que a gravidez aconteça.

Estavam presentes na palestra também parte da equipe da plataforma de blogs que fazemos parte, o Nós Mães: a ClaudiaVerônica e Laura.

Parte do Nós Mães com o Dr Paulo Bianchi e Dr Georges Fassolas
Parte do Nós Mães com o Dr Paulo Bianchi e Dr Georges Fassolas

Saí do evento positivamente impressionada com a paciência e delicadeza da equipe com temas tão importantes.

Agradecimentos: Laís Sansoni- Rojas Comunicação e Clínica Vivitá

 

 

 

 

About the author

Giuliana Pierri, psicóloga clínica e mãe da Victoria. É extrovertida e fala até com as paredes. Sempre gostou de moda e, como mãe de menina, expandiu o seu interesse também por moda infantil. A maternidade me desacelerou um pouquinho (só um pouquinho!) e me proporcionou um pouco mais de paciência para aproveitar a vida ao lado da minha família.

1 Comment

  1. Claudia
    16/07/2016 at 23:53
    Reply

    Oi Giu
    Eu adorei o post, adorei a palestra e a companhia de vcs.
    Espero que a proxima aconteça logo
    Bjs

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *