Blog posts

Arquiteto dá dicas de como reaproveitar um mesmo produto na decoração durante o crescimento da criança

Arquiteto dá dicas de como reaproveitar um mesmo produto na decoração durante o crescimento da criança

Compras, Dicas da Mama

A decoração do quarto do bebê é uma das fases mais gostosas que antecedem a chegada do novo membro da família. E entre berço, trocador, armário, cômoda e papel de parede, será que existe algum produto que pode ser utilizado em diferentes fases da vida? Aqui em casa, quando o Guigui nasceu, optamos por um berço que vira cama e foi uma ótima escolha.

De acordo com o arquiteto da Etna, Edson Vieira, alguns itens são bastante versáteis e podem sim ser reaproveitados, mas para isso o ideal é optar por tons neutros, móveis sem estampa e paredes mais lisas. “Nem tudo poderá ser reaproveitado ao longo da vida, como o berço. Porém é possível escolher alguns móveis ‘chaves’ para não gastar tanto a cada mudança de fase da criança. Uma cômoda com um tamanho um pouco maior, uma mesa lateral com um tom mais neutro, uma poltrona que pode até mesmo ser usada por um adolescente são alguns truques para prolongar a decoração do quarto”, revela.

garrei amor nesse berço

Outra dica importante é a escolha da estampa do papel de parede na hora de decorar o quarto. Segundo o arquiteto, o material precisará ser mudado em algum momento da vida, mas evitar desenhos como ursos, bailarinas, bichinhos e carros pode garantir uma vida útil maior ao produto. “A criança acaba enjoando muito rápido desse tipo de estampa, pois irão aparecer novas preferências. Além disso, papeis mais neutros podem ser utilizados caso o quarto precise ser dividido por crianças do sexo oposto e, até mesmo, usado ao longo da adolescência”, comenta.

Na Etna tem diversos modelos de faixa e papel de parede

Depois que a criança completa dois anos de idade, é hora de dizer adeus ao berço e abrir espaço para a cama. Na hora de escolher o móvel, muito pontos devem ser levados em consideração, como segurança, conforto e durabilidade do produto. “Os pais devem optar por modelos que podem ser utilizados até a fase da adolescência. Para isso, deve-se evitar camas personalizadas, como as que possuem formatos de carros e castelos, e sempre preferir tons mais neutros”, afirma. Edson conta que peças coloridas, como o rosa e o azul, tem vida curta, pois os jovens não costumam gostar deste tipo de personalização.

Cama infantil

Além disso, o profissional conta que, hoje em dia, existem muitos móveis multifuncionais que foram pensados, justamente, para uma durabilidade maior, como o Berço Cama Provence, da Etna. “Ele é um berço, que após a criança completar certa idade, pode ser transformado em cama proporcionando grande economia aos pais”, afirma.

O arquiteto conta que nem tudo poderá ser reaproveitado, já que o tamanho e os gostos da criança mudarão muito até chegar à vida adulta, porém alguns móveis, se escolhidos da maneira correta, poderão ser utilizados em mais de uma fase da vida. “Um armário que pode ser usado no quarto do bebê e a da criança, uma cadeira que pode ser usada do quarto da criança e adolescente e uma escrivaninha que poderá ser usada no quarto de um adolescente e adulto são algumas das possibilidades que o mundo da decoração proporciona”, finaliza.

 

About the author

Ana Claudia Cukier, jornalista, tímida, madrinha de duas meninas lindas e doces e mãe do Guilherme. Hoje me realizo nas funções de mãe e blogueira e tenho certeza que a maternidade me deu paciência, uma virtude que eu não tinha e que hoje não consigo me imaginar sem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *