Blog posts

Aleitamento materno e os riscos do BHT

Aleitamento materno e os riscos do BHT

Perrengue, Saúde

Continuando com as informações sobre amamentação segura, eu gostaria de falar com vocês sobre um componente químico que até o evento da Lansinoh Brasil era completamente desconhecido: o BHT, ou butil-hidroxitolueno. Vocês conhecem?

Mãe amamentando

Este componente está presente basicamente em quase tudo que consumimos, desde produtos alimentícios, cosméticos e medicações e possui uma função antioxidante, cuja finalidade é evitar a decomposição de óleo e gordura, além de manter a conservação de produtos.

Os órgãos regulatórios nacionais e internacionais liberam o uso do BHT dentro do que é considerado um limite seguro, porém é importante ressaltar que a ingestão do produto, principalmente por recém-nascidos pode provocar um impacto negativo na saúde… Você pode estar se perguntando: como é que bebês tão pequenos podem ter contato e até mesmo ingerir uma substância que pode ser tão perigosa, certo?

Preparem-se para a informação alarmante: no Brasil, alguns produtos específicos para o tratamento de fissuras nos mamilos decorrentes da amamentação contém BHT em suas fórmulas, porém omitem a presença da mesma em suas composições ao se intitularem produtos feitos apenas com lanolina.

O Dr. Corintio Mariano Neto (ginecologista, obstetra e Diretor da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia- FEBRASGO) iniciou uma pesquisa que serve de alerta para as mães que amamentam: o BHT pertence a um grupo químico que é muito tóxico para os fígados e rins. Outras pesquisas mostram que a substância tem a capacidade de aumentar o teor de lipídeos e colesterol no sangue, além de dificultar a absorção de nutrientes (por exemplo, as vitaminas A e D). Reações alérgicas como urticária e dermatite eczematosa também são descritas.

É de extrema importância que as mães fiquem atentas aos rótulos e composição dos produtos que pensem em consumir, visto que uma pomada que é aplicada diretamente na fissura mamária entrará em contato com a boca do bebê. No Brasil, apenas a Lansinoh NÃO apresenta BHT em sua composição. Mamães, fiquem de olho!

“No Brasil, esse limite aceito para o BHT é de 0,03 mg/kg de peso corpóreo (proporção equivalente a 1:1.000.000)”. E agora vejam a quantidade de BHT nas 4 das 5 pomadas de amamentação vendidas aqui no Brasil:

(Fonte: Dosage – Lasa Pesquisas Laboratoriais Ltda. – FOR.5.047 – Laudo de Ensaio – Rev.01. N°: Dos-16/1389.V00.02. 10/05/2016)
(Fonte: Dosage – Lasa Pesquisas Laboratoriais Ltda. – FOR.5.047 – Laudo de Ensaio – Rev.01. N°:
Dos-16/1389.V00.02. 10/05/2016)

A Lansinoh garante que sua lanolina é livre de qualquer conservante e não contém BHT. A marca inclusive nos entregou no evento um documento com um teste para provar isso.

A Lanolina HPA® Lansinoh é a lanolina mais pura do mundo e tem sido utilizada durante décadas para auxiliar milhões de mulheres a amamentar. Seu processo único e patenteado de refinamento garante que a Lanolina HPA® Lansinoh seja visivelmente diferente de qualquer outra lanolina, em termos de cor, odor e consistência, tornando-a a mais pura pomada de lanolina disponível no mercado.

Lanolina HPA® x Outras Lanolinas

Existem diversos refinamentos de lanolina desde o grau industrial bruto até o nosso grau ultrapuro. A Lanolina HPA® Lansinoh é refinada por um processo único patenteado que remove todos os componentes alergênicos e leva qualquer impureza ao menor nível possível.

A Lanolina Mais Pura do Mundo

– Hidrata, alivia e previne as fissuras mamilares

– Único ingrediente: 100% lanolina ultrapura

– Não contém BHT e nem nenhum outro preservativo ou aditivo

– Não é necessário remover dos mamilos antes da amamentação

Este post não é um publieditorial: é um alerta para que vocês mães que amamentam tomem muito cuidado com os produtos utilizados para o alívio das fissuras, pois as substâncias utilizadas nos mesmos podem impactar a saúde de seus bebês de uma maneira negativa!

BHT_LOGO_LR-300x30040g-HPA-Lanolin_red

 

About the author

Giuliana Pierri, psicóloga clínica e mãe da Victoria. É extrovertida e fala até com as paredes. Sempre gostou de moda e, como mãe de menina, expandiu o seu interesse também por moda infantil. A maternidade me desacelerou um pouquinho (só um pouquinho!) e me proporcionou um pouco mais de paciência para aproveitar a vida ao lado da minha família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *