Blog posts

Acampamento para crianças pequenas

Acampamento para crianças pequenas

Alvará, Comportamento, Diversão, Passeio, Viagem

Quem acompanha o instagram do blog (sigam a gente por lá! @daviedogui) viu que publiquei uma foto com a arrumação da mala da Vicky para o seu primeiro acampamento… Foi um alvoroço, pois muita gente veio perguntar se não era muito cedo, afinal de contas ela acabou de completar 4 anos de idade e a duração da “aventura” foi de 3 dias inteiros (as crianças dormiram 2 noites fora de casa).

A escola da Victoria estimula muito o desenvolvimento da autonomia das crianças e os acampamentos acontecem anualmente, à partir dos 4 anos. Pelo que percebo, todo ano os pais das crianças mais novas ficam muito divididos para a tomada da decisão do acampamento. Por isso, resolvi escrever contando um pouquinho da experiência minha (enquanto mãe) e dela.

Foi uma decisão fácil? Nem um pouco, mas penso que precisamos avaliar a criança e a própria dinâmica familiar para saber o que é melhor. A Vicky está acostumada a dormir na casa dos avós desde muito cedo (desde que era uma bebê na verdade) e, além disso, 1x por ano tiro férias com meu marido e ela fica com os avós para que isso aconteça. Claro que para uma criança que nunca dormiu fora de casa, ou que nunca ficou sem a presença dos pais por alguns dias a experiência pode se tornar muito difícil.

Este ano a quantidade de crianças de 4 anos que foram para o acampamento foi a maior de todos os tempos: de mais ou menos 30 crianças, 10 participaram. Algumas delas não tinham dormido fora de casa nunca e sabe o que aconteceu? Todas elas aproveitaram muito! Nenhuma pediu para voltar antes e quando o ônibus chegou todas estavam super animadas e perguntando quando seria o próximo.

As atividades do acampamento foram um sucesso: muito contato com a natureza, nada de televisão, tablets ou outros equipamentos tecnológicos, gincanas e muita festa!

Será que se divertiram? Vicky e Laia
Será que se divertiram? Vicky e Laia

Como mãe senti um orgulho tremendo da minha filha ter passado por esta experiência… As crianças chegaram com uma medalha no peito e, realmente mereceram: são pequenos vencedores!

Claro, na ida tive que me controlar para não chorar antes da partida do ônibus e meu coração ficou apertado por muitos momentos, mas passaria (e na verdade, passarei) por tudo novamente.

Ah, tem mais um detalhe! Tenho que contar que o grupo de mães da turma da Victoria é incrível, pois todas nos auxiliamos e ajudamos a lidar com a saudade e ansiedade de ter nossos filhos longe de casa para esta grande aventura!

Pedi o depoimento para um delas para uma delas (aliás vou puxar a orelha de algumas outras que não me entregaram… grupo é grupo!)… Vejam o que a Elaine Chun Dieckmann, mãe do Victor contou:

O primeiro acampamento gera muitos sentimentos. Medo e insegurança, é claro, são os sentimentos predominantes no início. Lógico que ficamos apreensivos, afinal era a primeira vez que Victor passaria a noite longe da família. Mas depois de respirar fundo e passado esse “susto” inicial, os outros sentimentos que afloram são o de felicidade e orgulho! Meu bebê já está crescendo e virando um rapazinho! O fato de ele estar mais independente é muito bom para seu desenvolvimento e me traz grande alegria! Avaliando agora, não me arrependo nem um pouco de autorizar esta viagem. Tenho certeza que foi muito bom para ele e através das fotos posso ver que ele se divertiu muito e aproveitou essa experiência ao máximo! Certamente sentiria uma culpa muito grande de privá-lo de uma experiência tão boa para seu futuro. Ele gostou tanto que ao chegar em casa me perguntou: “mamãe posso ir no acampamento de novo?” Parece que nem sentiu falta da mamãe e do papai! Para as mamães que estão em dúvida, não tenham medo! As crianças vão adorar e o único problema no final é saudade que sentimos durante esses 3 dias!

Victor no acampamento
Victor no acampamento
Vicky e Victor com o coelho
Vicky e Victor com o coelho
Parte da turma com o Biscoito (cachorro que deve ter sido muito apertado)
Parte da turma com o Biscoito (cachorro que deve ter sido muito apertado)
Festa a fantasia
Festa a fantasia

 

About the author

Giuliana Pierri, psicóloga clínica e mãe da Victoria. É extrovertida e fala até com as paredes. Sempre gostou de moda e, como mãe de menina, expandiu o seu interesse também por moda infantil. A maternidade me desacelerou um pouquinho (só um pouquinho!) e me proporcionou um pouco mais de paciência para aproveitar a vida ao lado da minha família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *